Loading...

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Meio ambiente: A co-relação entre desmatamento e extinção de espécies

   Desmatamento, e extinção de espécies, dois assuntos distintos que envolvem causas interligadas e conseqüências que de certa maneira é conjunta. As causas para o desmatamento e extinção são diversas, desde a derrubada de árvores para o plantio de grãos para alimentação humana ou para a pecuária, até a prática de queimadas que é um hábito maléfico, mas que é comum, infelizmente.

   A discussão desses temas é bastante atual, mas o início desses grandes problemas, provêm dos primórdios da civilização humana quando o homem começou a valorizar mais a extração de riquezas do que sua própria natureza.

   Assim como os demais recursos naturais, as plantas e os animais são seres “finitos” e que se não forem cuidados agora serão realmente extintos. O problema é que muitas pessoas não se conscientizam e acham que os demais seres vivos são totalmente inúteis para sua sobrevivência, o que demonstra uma verdadeira ignorância, já que todo e qualquer animal e vegetal é importante para manter o ecossistema agradável e necessário para sobrevivência de todas as espécies, inclusive a espécie humana.

   No Brasil, que é um dos países com maior biodiversidade, o desmatamento cresce a cada dia, mesmo com medidas adotadas pelo governo, pois muitos fazendeiros procuram estender ainda mais suas terras para o cultivo de alimentos, necessários cada vez mais com a crescente população. Esse problema não é exclusivo do nosso país, mas sim um problema vivenciado em todo mundo, principalmente em países desenvolvidos que exploraram e ainda exploram de forma abrupta suas florestas e suas riquezas naturais. Assim o que a natureza demorou séculos para construir (um ecossistema agradável para sobrevivência de todas as espécies) está sendo destruído aos poucos por uma espécie que visa apenas o seu próprio bem e que esquece que com cada árvore derrubada e cada animal morto de maneira desnatural, mais um ciclo de vida está sendo interrompido.

   A extinção das espécies é algo natural, que ocorre por processos adaptativos. Mas o que o homem está fazendo simplesmente para obter a carne, o couro ou até mesmo o chifre de um animal é pura crueldade. E essas caças e matanças, muitas vezes contínuas, podem ocasionar um sério problema que é o desequilíbrio da cadeia alimentar, que pode simplesmente provocar a infestação de algumas espécies e extinguir outras.

   Apesar desses problemas serem freqüentes, atualmente, estes são algo que acontecem bem menos do que no passado, já que antigamente a destruição do meio ambiente era contínua, que ocasionou os problemas que vivenciamos hoje. As futuras gerações merecem um meio ambiente melhor e mais conservado, e para isso devemos salvar o que perdemos no passado e conscientizar as atuais e futuras gerações para que o meio ambiente permaneça intacto, assim agradável como a natureza nos deixou á muito tempo atrás.

Autor- Wilton Barreto

Palavras...

Para quê tantas palavras e tão poucas atitudes?

Para quê tantas pessoas unidas para salvar o meio ambiente, se a maioria só fala
Palavras não salvam o mundo, não
O que vai nos salvar com certeza, são atitudes em prol do meio ambiente.
Por anos destruímos, passamos por cima de tudo que existia simplesmente para...
Construir uma civilização desenvolvida,
Bem verdade nós conseguimos, está ai hoje a URBANIZAÇÃO
Mas hoje que temos o que queríamos, queremos de volta o que jogamos fora...
Um bem precioso que foi explorado e jogado no lixo
Um bem que foi morto aos poucos, foi destruído, despedaçado...
Cadê nossas matas, cadê nossos animais?
Simplesmente basta olhar ao nosso redor...
Basta olhar um móvel da sua casa e lembrar que uma árvore foi derrubada para lhe dar conforto...
Basta lembrar que para fazer esse espanador de poeira, ou esse casaco de pele, um animal foi morto e maltratado
O meio ambiente foi destruído para nos dá conforto
Mas esse conforto, não vai nos dá a vida e o ecossistema que a mãe natureza nos deixou.
E quando realmente tomaremos medidas para salvar nosso futuro?
Simplesmente quando não existir mais jeito...
Quando não existir mais árvores, nem animais...
Quando o homem precisar comer suas próprias invenções...
Quando o homem precisar beber suas lágrimas e seu próprio sangue para matar sua sede.
E respirar sua própria poluição para se envenenar e simplesmente MORRER.

Autor- Wilton Barreto.

Desmatamento

   O desmatamento, também chamado de desflorestamento, é uma destruição causada pelo homem que não tem consciência de quão males podem trazer ao planeta, afetando não apenas á ele próprio, mas á todos os seres vivos.

   A exploração começou cedo, quando os portugueses chegaram ao Brasil , interessados com o lucro da venda do pau-brasil na Mata Atlântica. E ainda hoje a exploração continua. O planeta está cada vez mais precisando de ajuda, se houvesse um pouco mais de consciência de todos, um grande passo seria dado e a cada pedaço de mata nativa um pouco mais valorizada o planeta suportaria.

  Aumentar a fiscalização nas áreas preservadas e punir os responsáveis pelos desmatamentos ou qualquer tipo de crime ambiental são iniciativas que deveriam surgir com urgência. A natureza pede socorro e a conscientização deve partir de todos. Diante de todas essas situações o futuro é assustador, é necessária hoje uma atitude inteligente para que assim se evite um futuro sofrimento.

Autor(a)- Larissa Souza.

Meio Ambiente e a sua Destruição


   O meio ambiente já foi algo de se orgulhar no Brasil, pela sua biodiversidade na fauna e na flora. Hoje já não é mais, simplesmente por um motivo: o constante  desmatamento que as florestas vem sofrendo.

   Atualmente, estamos vivendo em uma cidade de concreto, em que tudo gira em torno do dinheiro, e para qualquer lado que se olha, pode-se ver qualquer outra cor menos o verde das densas florestas que aqui existiam. Antes, as pessoas lutavam para construírem as cidades, mas as suas ânsias e seus desejos de construir foram tão exagerados que agora eles querem voltar atrás do prejuízo, plantando novas árvores, mas infelizmente, não há como voltar no tempo, os animais que viviam onde hoje só tem prédios altíssimos e muitas casas, foram mortos sem dó, e a maioria que sobrou está enjaulada em zoológicos.

  Eles pensam que estão fazendo um bem maior, mantendo esses bichos em cativeiro. Isso só traz transtornos para eles, que não estão em seu habitat natural. Mas será que isso que fazem com eles, é certo? Acham que depois de tanta destruição, irão conseguir restaurar tudo aquilo que foi perdido?

   Com certeza não! Porque muitas pessoas nem ligam pra o que está acontecendo, supõem que não há mais jeito, pelo o fato de que o dinheiro subiu pra a cabeça de tal forma, que acabam desmatando e até fazendo queimadas para fazer pastos. E com isso também se vão os animais e toda a diversidade que há naquele lugar! Enquanto a mídia tenta, de forma desesperadora, alertar as pessoas sobre o que está havendo, existem muitos outros que destroem ainda mais.

   A Floresta Amazônica é um exemplo bem claro. Ela fora uma das maiores florestas do mundo e sua biodiversidade superava todas as outras. Nos dias de hoje, já tem uma boa parte de sua floresta desmatada, por dois motivos: Para fabricação de móveis com a madeira das árvores, e para criarem pastos para a pecuária.

   Então, as pessoas devem se conscientizar de que as florestas e toda a fauna que nela há, é algo inestimável. Com toda essa demolição das florestas, do que eles vão sobreviver? O que eles vão beber? O que o meio ambiente precisa é de atitudes que  salve-o e não apenas de palavras.

Autor-Matheus Almeida

Qual é o critério que define quando um animal está em extinção?

“Para classificar uma espécie como ameaçada, não basta saber o número de indivíduos na natureza”

  "Um animal é considerado extinto quando deixa de existir, seja na natureza ou em cativeiro, por causas naturais ou pela ação do homem.”, explica a bióloga Kátia Rancura. Mas, para dizer que uma espécie está em extinção, não basta saber a quantidade geral de indivíduos que existem na natureza. Essa classificação é mais complexa e feita com base em critérios adotados pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), mais antiga organização internacional de preservação do meio-ambiente. Segundo a IUCN, as espécies podem ser classificadas em oito categorias: extinta, extinta na natureza, criticamente em perigo, em perigo, vulnerável, quase ameaçada, pouco preocupante e deficientes em dados. Se a espécie foi classificada em uma das duas primeiras categorias é considerada extinta, se está entre vulnerável e criticamente em perigo, corre risco de extinção.

  Para se chegar a uma dessas categorias, são levados em conta os seguintes critérios:

1- Quanto a população diminuiu durante o espaço de três gerações ou qual é a projeção de declínio populacional para as próximas três gerações;

2- Extensão de ocorrência e tamanho da área que ocupa;

3- Tamanho da população de indivíduos maduros (prontos para a reprodução);

4-Análises quantitativas que mostram a probabilidade de extinção na natureza nas próximas três gerações.


Fonte: Revita escola, edição maio 2009 (http://revistaescola.abril.com.br/)


sexta-feira, 2 de julho de 2010

Insetos e artropódes invertebrados ameaçados em extinção

Existem muitos insetos e artropódes ameaçados em extinção, e outros que já foram identificados pelo Ibama como extintos. São eles:

 A formiga Simopelta minima, que ocorria na Bahia














A libélula Acanthagrion taxaense que era encontrada no Rio de Janeiro


A minhoca gigante, Rhinodrilus fafner, que tinha ocorrência em Minas Gerais.

E as minhocas Fimoscolex sporadochaetus (conhecidas como minhocas brancas)


Espécies vegetais ameaçadas em extinção

Vítimas do desmatamento e das queimadas contínuas, muitas espécies vegetais também estão na lista das exespécies que correm risco de sumir do planeta. Entre as espécies ameaçadas no Brasil pode-se destacar:

Bromélia:





















Pau-Brasil



Pau-cetim



Jacarandá-da-Bahia



















Jaborandi do Maranhão






















Andiroba